Hipermetilação da região do THOR apresenta potencial como biomarcador epigenético para o diagnóstico e prognóstico do cancro do pâncreas

envie a um amigo share this

Hipermetilação da região do THOR apresenta potencial como biomarcador epigenético para o diagnóstico e prognóstico do cancro do pâncreas

Segunda, 26.02.2018

O cancro pancreático representa um dos cancros com maior taxa de mortalidade devido a um diagnóstico tardio, resultado da escassez de biomarcadores e estratégias terapêuticas. A procura de novos biomarcadores que possibilitem o diagnóstico em fases iniciais da doença é um dos maiores desafios para este tipo de cancro e avanços nesta área iriam possibilitar o tratamento atempado da doença antes da sua progressão.

O principal objetivo deste projeto foi a descoberta de um potencial biomarcador para diagnóstico e prognóstico do cancro do pâncreas através da análise do perfil de metilação da região de uma região especifica do gene da telomerase, denominada Tert Hypermethylated Oncologic Region (THOR). Este estudo baseou-se na análise de dados de pacientes com cancro de pâncreas disponíveis numa base de dados o que nos permitiu não só ter acesso aos dados de análise de metilação e expressão desses mesmos pacientes, mas de toda a informação clínica associada.

A nossa investigação evidencia o potencial da análise da metilação desta região como um novo biomarcador para o diagnóstico do cancro do pâncreas. Este gene está envolvido no processo de imortalidade replicativa, essencial para o desenvolvimento e progressão da doença. O nosso estudo revela que esta região se encontra hipermetilada no tecido tumoral e que pacientes com níveis mais elevados de metilação apresentam tempos de sobrevida inferiores revelando o seu potencial como biomarcador de diagnóstico e prognóstico da doença.

A validação dos resultados observados nestas análises preliminares poderá levar à implementação de um novo biomarcador para a deteção precoce do cancro do pâncreas. Um diagnóstico atempado desta patologia, se possível por métodos não invasivos, possibilitaria maior eficácia terapêutica levando a um aumento da dececionante taxa de sobrevivência destes pacientes.

 

Autores e Afiliações:

Faleiro I1,2,3, Apolónio JD1,2,3, Price AJ4, De Mello RA1,3, Roberto VP1,2,3, Tabori U5, Castelo-Branco P1,2,3.

1. Department of Biomedical Sciences & Medicine, University of Algarve, Campus de Gambelas, Edifício 2, 8005-139 Faro, Portugal.

2. Centre for Biomedical Research (CBMR), University of Algarve, 8005-139 Faro, Portugal.

3. Algarve Biomedical Center, University of Algarve, Campus de Gambelas, 8005-139, Faro, Portugal.

4. Division of Biology & Biological Engineering, California Institute of Technology, Pasadena, CA, USA.

5. Arthur & Sonia Labatt Brain Tumor Research Center, The Hospital for Sick Children, University of Toronto, Toronto, ON, Canada.

 

Abstract:

Aim: We explore the biomarker potential of the TERT hypermethylated oncologic region (THOR) in pancreatic cancer. 

Materials & methods: We assessed the methylation status of THOR using the cancer genome atlas data on the cohort of pancreatic cancer (n = 193 patients). 

Results: THOR was significantly hypermethylated in pancreatic tumor tissue when compared with the normal tissue used as control (p < 0.0001). Also, THOR hypermethylation could distinguish early stage I disease from normal tissue and was associated with worse prognosis. 

Discussion: We found that THOR is hypermethylated in pancreatic tumor tissue when compared with normal tissue and that THOR methylation correlates with TERT expression in tumor samples. 

Conclusion: Our preliminary findings support the diagnostic and prognostic values of THOR in pancreatic cancer.

 

Revista: Future Oncology

 

Link: https://www.futuremedicine.com/doi/abs/10.2217/fon-2017-0167?rfr_dat=cr_pub%3Dpubmed&url_ver=Z39.88-2003&rfr_id=ori%3Arid%3Acrossref.org&journalCode=fon